Sexta-feira, 30 de Abril de 2010

O Poço do Sr. Américo

 

Pomares sempre teve uma ligação muito próxima com a sua ribeira. Essa ligação era ainda mais estreita no bairro das Casas Cimeiras, porque aquilo que nos separava dela era apenas um muro e umas escadas de fácil acesso. O coaxar das rãs, o guarda rios com a sua plumagem exuberante em voo rente à água. Eram sons e imagens que nos eram familiares.  Era aqui, que enquanto a nossas mães lavavam a roupa e a punham a corar em cima da relva e dos juncos das margens, que nós garotos nos entretínhamos com os brinquedos que tinhamos à mão, pedras, atirando-as à superfície da água, escolhidas a preceito para  saltitarem à tona até perderem a velocidade e afundarem. Era uma cana de pesca, construída com uma cana, cortada da margem, mais ou menos direita, com uma linha de nylon e um anzol que ficava rombudo em pouco tempo devido às pedras. O isco eram bolinhas de broa. A pescaria era nenhuma. As trutas lá continuavam em paz e sossego! Era o Poço das Casas Cimeiras, outrora cheio de vida. Para os mais novos era o Poço do Sr. Américo, comerciante paredes meias com este poço e simpático e saudoso senhor, que tinha uma paciência enorme para aturar os mais pequenos, não podendo esquecer a saudosa Isaura Fernandes sua esposa. Há pessoas de quem nós guardamos boas recordações e temos saudades. Essas eram as pessoas de bom coração. É este o Poço do Sr. Américo. O Poço das Casas Cimeiras. 

 

 

 

sinto-me:
publicado por rouxinoldepomares às 00:14
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De bcmantunes a 30 de Abril de 2010
Ora viva, amigo António Manuel, cordiais cumprimentos.
Interessante descrição principalmente das pessoas em apreço. Testemunhei isso muitas vezes. O Sr. Américo Fernandes, muito amigo do seu amigo, pessoa muito serena. Entre o Sr. Américo Fernandes e o meu Pai existia uma admirável estima e um respeito recíproco. Curioso, a Irmão do Sr. Américo, também ela Isaura, casou com o Sr. Manuel Figueiredo (Ferreiro), do Agroal.
Hoje, com a inauguração de mais um troço do IC6, dá-se mais um passinho no progresso da nossa região.
Caríssimo, Antóno, continuação de um bom dia com tudo de melhor.
Saudações cordiais,
Belchior Madeira Antunes
De bcmantunes a 30 de Abril de 2010
Zumba na caneca! (...) A temperatura está alta mas não há tempo para banhocas no poço do Sr. Américo... Vamos por as contas... em ordem para que possamos dar aos nossos visitantes tudo de melhor que Pomares tem. Proponho serenidade, sem esquecer o que, eventualmente, tiver que ser corrigido.
Eu acredito em P. O. M. A. R. E. S.
Para que não haja queixas de qualquer espécie.
Pensem Nisso.
«ARRIBA Pomares».
Caríssimo, António, tudo de melhor.
Saudações cordiais,
Belchior Madeira Antunes
De dita a 30 de Abril de 2010
Bons tempos!!!
A nostalgia apoderasse de mim.
As rãs a coaxar á noite, as crianças a brincarem durante o dia no "Poço das Casas Cimeiras" o Sr. Américo sempre com rebuçadinho para dar aos meninos.

Tempos em que tudo era mais simples, e harmonioso, tempos em que os pomarenses eram mais solidários, e bondosos.
Tempos em que a rivalidade era com os avoenses e não entre os pomarenses.
De Graça a 30 de Abril de 2010
Foi nesse poço que aprendi a nadar...lembro-me tão bem do som da água a correr e de todos os insectos que por ali andavam ( que medo da libelinha!), dos cardumes de pequenos peixes, da sombra das árvores por cima dos lavadouros ( que não passavam de pedras ajeitadas), das tardes tão quentes a contrastar com a água gelada da ribeira, da Ana Lúcia, da São, da Anita e do Miguel, do Mário e tantos outros miúdos. Adorava o Verão em Pomares!
Bj
Graça
De Ana Moringa a 30 de Abril de 2010
Eheheheheh
pois do poço do Sr Américo eu lembro-me mesmo era de gostar de ir lavar a roupa com a minha querida avò celeste, levar o cesto á cabeça, coisa que por lisboa não se via fazer :) e as banhocas ... belas banhocas querida amiga Graça, era sempre em festa. Obrigada Sr . Américo pelos sugos na hora de voltar a lisboa e dar por terminadas as férias de verão....Ò tempo volta para trás.......
Saudades
Ana Moringa (Anita)
De Tuareg a 30 de Abril de 2010
Saudades desses tempos em que passávamos o verão na ribeira sempre povoada de mulheres a lavar roupa! As pescarias, os banhos, as amoras, etc , etc .
Lembro-me do Américo (da tia Irene Fernandes) ter construído um barco em madeira que, quando foi posto na agua, foi ao fundo porque a água entrava entre as tábuas . Mas ele resolveu o problema tapando com alcatrão e então ainda passeamos algumas vezes nesse barco! hehehe
Bons tempos que já não voltam...

Comentar post

.Eu


. ver perfil

. seguir perfil

. 36 seguidores

.pesquisar

.Maio 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. VII Capítulo da Confraria...

. Em Fátima a 13 de Maio

. Mostra de Ensino Profissi...

. A Tailândia na ARPIMS de ...

. Sra Ministra da Saúde em ...

. 2º Grande Prémio de Atlet...

. Festa Socialista em Aveir...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Será que já ninguém sabe a diferença entre diâmetr...
Comprei esta variedade nos Viveiros Valter.
Não deve ser fácil encontrar uma videira desta cas...
Ando à procura de um par de pés desta casta, mas n...
Também tenho uma de quando andava na v
Que pena pintarem as casas de branco!Eram tão lind...
Adorei o teu comentário! Não tenho mais palavras! ...
Não é preciso dizer mais nada... como sempre o ami...
Foi com gosto que apreciei esta festa de Carnaval...
Não lhe sei responder...Sei que têm vendido alguma...

.AVISO

Para evitar a calúnia e a difamação gratuíta, os comentários são moderados pelo autor do blog. Todos os comentários serão publicados, mas se estiver a pensar insultar ou difamar pessoas ou grupos, e de forma geral prejudicar a utilização leal deste espaço não se dê ao trabalho. Os comentários não serão publicados.