Terça-feira, 20 de Maio de 2014

IV Encontro de Folclore do Soito da Ruiva

 

Comecemos por esta fotografia para percorrermos o dia de domingo à tarde, em que na cidade de Almada (Cova da Piedade), a comunidade soitodaruivense que ali goza de elevado prestigio, levou ao palco da SFUAP o seu IV Encontro de Folclore do Grupo de Danças e Cantares de Soito da Ruiva. Antes, percorreram algumas ruas da Cova da Piedade, os ranchos Folclóricos presentes no encontro, e ainda a Filarmónica Pomarense vinda lá da terra de propósito. Foi uma manifestação da Serra do Açor e da comunidade Pomarense, que no domingo passou pela SFUAP. Foi mais um evento com a qualidade e organização a que o Soito da Ruiva já nos habituou há muito.

Acompanhando a Filarmónica de Pomares pelas ruas da Cova da Piedade, o Sr. Presidente da União das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, Ricardo Louçã, e Teresa Neves de Soito da Ruiva. A festa vai começar!

 

 

A Filarmónica Pomarense no centro da Cova da Piedade a abrir o cortejo, em direcção à SFUAP.

 

 

Seguiram-se os ranchos folclóricos, com o Grupo de danças e Cantares de Soito da Ruiva, o rancho anfitrião, logo a seguir.

 

 

Muita gente no pavilhão e cá fora, aguardava a chegada dos ranchos.

 

 

Do Grupo de Danças e Cantares de Soito da Ruiva.

 

 

E ainda outra do Grupo de Soito da Ruiva.

 

 

A seguir, o Rancho Folclórico de S. Paio de Oleiros, Sta Maria da Feira, Aveiro.

 

 

Que nos mostra trajes lindíssimos e curiosos.

 

 

De Riachos, o Rancho Folclórico que nos traz o fandango

 

 

Riachos, uma terra na qual tenho amigos do coração, e aproveito aqui para saudar os meus amigos Barroso. Se não tivesse terra e tivesse que escolher uma terra para viver, escolheria Riachos.  

 

 

E de Riachos não vem só o fandango, vem também gente bonita e com excelente voz, a fadista Teresa Tapadas.

 

 

Por fim o Besclore, Grupo de Danças e Cantares de folclore minhoto.

 

 

 

Do Besclore.

 

 

Os trajes minhotos são exuberantes e alegres.

 

 

Em palco e a abrir o encontro, a Filarmónica Pomarense.

 

 

Filarmónica.

 

 

Em palco o Grupo de Soito da Ruiva.

 

 

As danças e os cantares da Serra do Açor.

 

 

Na apresentação, organização e coordenação, e ao leme da Comissão de Melhoramentos de Soito da Ruiva e do Grupo de Danças e Cantares, Teresa Neves.

 

 

À espera de entrar em palco.

 

 

Dina, do Grupo de Soito da Ruiva.

 

 

Ricardo Louçã, presidente da União de Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, dirigindo-se aos presentes e à comunidade pomarense, porque é um amigo de Soito da Ruiva e da nossa comunidade na Margem Sul.

 

 

 

Ricardo Louçã, apõe a fita que testemunha a participação e presença no evento, no estandarte da Filarmónica Pomarense.

 

 

Armando Nascimento, Presidente da Junta de Freguesia de Pomares, apõe a fita no estandarte do Grupo de Soito da Ruiva.

 

 

Carlos Manuel, Presidente da Casa da Comarca de Arganil, apõe a fita a Riachos.

 

 

E enquanto se dançava e cantava, lá ao fundo, gente esforçada e trabalhadora mantem a banca repleta de coisas boas...porque é preciso fazer pela vida da aldeia de origem.

 

 

Anita e as famosas filhoses (coscoreis), de Soito da Ruiva.

 

 

 

As não menos famosas "bruxinhas" de Soito da Ruiva.

 

 

O folclore permite-nos sempre um contacto com usos e costumes que dificilmente de outra maneira teríamos conhecimento deles.

Do Rancho Folclorico de S. Paio de Oleiros.

 

 

Do Rancho de S. Paio de Oleiros.

 

 

Do Rancho de S. Paio de Oleiros.

 

 

E ainda do Rancho de S. Paio de Oleiros.

 

 

Teresa Neves coloca o microfone no violão de um participante.

 

 

Ainda do Rancho de S. Paio de Oleiros, o "Serandeiro", uma figura do imaginário popular, que significa um apaixonado que iria nas debulhas sob disfarce falar com a sua amada, para não ser reconhecido.

 

 

E ainda S. Paio de Oleiros.

 

 

O Rancho Folclórico de S. Paio de Oleiros, um grupo de grande qualidade etnográfica, sem desprimor para os outros participantes.

 

 

De Riachos.

 

 

De Riachos.

 

 

Folclore minhoto, Besclore.

 

 

A foto está gira...mas o puto foi acometido do síndrome de palco e fugiu a chorar...a intenção era boa, mas...não vale assustar os putos!

 

 

A fechar o Encontro, a Filarmónica Pomarense.

 

 

No final e ao som de umas "laironas" da Filarmónica ainda deu para um pezinho de dança...não é Alice Ventura?

 

 

E não sendo uma "selfie", é uma foto de duas meninas bonitas da Filarmónica, mas há mais meninas bonitas...não se babem!

 

 

E no final houve comer para todos...

 

 

 

Para o ano será o V. Lá estaremos, espero!

 

sinto-me:
publicado por rouxinoldepomares às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.Eu


. ver perfil

. seguir perfil

. 36 seguidores

.pesquisar

.Maio 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. IV Encontro de Folclore d...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Visitas

conter12

.últ. comentários

Que pena pintarem as casas de branco!Eram tão lind...
Adorei o teu comentário! Não tenho mais palavras! ...
Não é preciso dizer mais nada... como sempre o ami...
Foi com gosto que apreciei esta festa de Carnaval...
Não lhe sei responder...Sei que têm vendido alguma...
A Quinta da Marqueza encontra-se para venda ?
Que catastrófe as imagens dão arrepios.bjshttp//bl...
Impressionante! Ainda bem que nada lhes aconteceu.
Parabéns à Junta de Freguesia de Pomares, por as m...
A familia de minha Mãe de apelido Silva Campos é d...

.AVISO

Para evitar a calúnia e a difamação gratuíta, os comentários são moderados pelo autor do blog. Todos os comentários serão publicados, mas se estiver a pensar insultar ou difamar pessoas ou grupos, e de forma geral prejudicar a utilização leal deste espaço não se dê ao trabalho. Os comentários não serão publicados.